Seguidores

Páginas

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

ANO VELHO-ANO NOVO




ANO VELHO-ANO NOVO

Lá vai ele...
Para uns que vá com presteza,
Para esquecer a tristeza,
Toda incerteza,
A angustia que ocorreu.

Lá vai ele...
Deixando marcas de saudades,
Ganhando e perdendo pessoas e amizades,
Testando nossas  capacidades,
Mais um ano que Deus nos deu.

Lá vai ele...
O ano que ficou velho,vetusto,
Experimento necessário onusto,
De alegrias e tristezas, coração angusto,
Que muito se aprendeu.

Lá vai ele...
Que leve consigo os maus fluidos,
As coisas ruins ,sem sentidos,
Que deixe somente o bem o bom havidos,
Neste ano que envelheceu.

Lá vai ele...
E chega mais um,cheio de expectativa,
Esperança de realização em perspectiva,
De um ano novo de realização assertiva,
Quem vai é ele mas não eu.

HEIDY

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

NATAL É TEMPO DE ALEGRIA



NATAL É TEMPO DE ALEGRIA

Natal é tempo de alegria,
A sala não está mais vazia,
O pinheiro modesto ganhou energia,
Sinos bolas e anjos,piscas em harmonia.

Estantes e mesas com enfeites e velas,
Anjinhos e botinhas enfeitando as janelas,
No prato de nozes duas lindas estrelas,
Porções de pinhas secas lindas tão belas.

Natal é tempo de alegria,
De encher a casa de fantasia,
Durante a noite,durante o dia,
Todos e tudo em sintonia.

E todas essas luzes brilhos que avistamos,
Irradie a paz para os seres humanos,
Que traga mais amor e união,
E ilumine os corações dos insanos.

HEIDY

domingo, 18 de dezembro de 2011

NÃO QUERO PRESENTES NESTE NATAL!!!


segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

DESEJO PARA TODOS VOCÊS UM FELIZ NATAL!!!


MEU  NATAL
Natal...Natal nos traz sempre  recordações.
A nossa arvore era enfeitada na véspera,
Onde a porta da sala era trancada,só avia uma sombra que por de baixo da
porta eu espiava.
Saiamos todos para dar uma volta na rua,meus pais,eu minha irmã e meu irmão.
E quando voltávamos,o toca disco tocava canções alemãs,era  o sinal que Pai Noel
Havia passado em nossa casa.
Então eu e meus irmãos abríamos a porta da sala,e lá estava,o pinheiro silvestre
todo enfeitado,com velas fininhas acesas em todas as pontas dos galhos,
os presentes espalhados em baixo dela.
Mas o meu sonho de menina aos poucos foi acabando,
da família reunida,primos tios,avós e quem mais chegassem...
Com os anos não foram mais chegando,
A gente cresce e o destino foi nos distanciando.
Agora aqui em meu lar,somos só nós a celebrar,
Somos uma família pequena,mas juntos novamente podemos estar,
Essa união que sempre temos,disso eu posso me alegrar.
E no dia de Natal sentaremos juntos isso não pode faltar,
Com a vovó que nos espera,as primas as tias,e o cunhado,
Novamente nos confraternizar.
E sentiremos a falta dos verdadeiros Papais-Noéis,
Que entre nós não poderão estar.


HEIDY


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011


PACIÊNCIA

Nunca se dá tudo de uma vez,
Sufoca é uma insensatez,
De aos poucos com lucidez,
Ninguém quer tudo com rapidez.

O rápido é imperfeito,
Fica com defeito,
Não dá para ser perfeito,
Terá sempre um insatisfeito.

Vá devagar semeando,
Não corra vá andando,
Não tenha pressa,
Está tudo seguindo.

São dias e noites,
Continue prosseguindo,
Tudo feito com calma,
Vai-se concluindo.

Semeia-se hoje e vai expandindo,
Dar-se o tempo de ir corrigindo,
Sem pressa vai se refletindo,
Sem erros reagindo.

Não jogue para o alto o que conquistou,
Por mera vaidade do seu destemor,
Não se faça um transgressor,
Nem torne seu desejo violador.

Seja um sonhador,
Da paciência de um inventor,
Invente sua vida,com calma e cautela,
De um verdadeiro sonhador.

HEIDY


sexta-feira, 18 de novembro de 2011

ESPERANÇA NO AMANHÃ






ESPERANÇA NO AMANHÃ

Mesmo nessas tormentas,
Eu vivo sempre de ilusões,
Sempre acredito que o amanhã,
Não me trará desilusões.

Amanhã  é um dia importante,
Não para muita gente,
Foi o dia em que nos unimos,
Os dois corpos carentes.

Foi esquecido frequentemente,
Embora para mim um dia importante,
E sei que será esquecido novamente,
Mas sempre tenho a esperança desse lembrete.

Com altos e baixos no decorrente,
Mas são vinte e três anos,
Casados felizmente,
Pois hoje em dia isso é iminente.

Só não entendo porque sou persistente,
Vendo ainda nós dois como antigamente,
Eu ainda adolescente e carente,
Como hoje paciente.

Quero seguir firmemente,
Pois sei que ainda sou atraente,
Mas preciso ser coerente,
Para não me iludir novamente.

Mas deixo em forma de poesia,
Que mesmo assim estou contente,
Por estarmos ainda juntos,
Deve ter um motivo coerente.

Conheci-o 1983
Casamento-19/11/88

HEIDY

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

SUA DIVINDADE FEMININA

 SUA DIVINDADE  FEMININA

Serei sempre teu guia,noite e dia,
Quando estiver passeando pelas matas,
Sem mim você se perderá,
Sozinho não a explorará.

Quando estiver em pleno deserto,
De insolação sofrerá,
Pois eu sou a sombra,
Que o protegerá.

Aventurar-se sozinho por lugares desconhecidos,
Passará fome e frio,sem mim não suportará,
E nas noites frias sou eu a te esquentar,
Em meus braços te acalentar.

É só do meu carinho que sobreviverá,
Do meu sorriso que se alimentará,
Sou sua divindade feminina,
A sua tentação ,que jamais resistirá.

Sou flor que a pele lisa me revela,
Sou o cheiro que te embriaga,
Que ainda guarda o viço,
Serei assim sempre , sua  linda donzela.

HEIDY

terça-feira, 15 de novembro de 2011

amor, perdas, partidas e saudades

SOU PRINCESA VIAJANTE


SOU PRINCESA VIAJANTE

Sou princesa viajante da beira do mar,
Molhando a calda do vestido,
Aguardando a quem venha me buscar,
Meus pés descalços na areia,
Não deixam marcas para me alcançar,
Sou princesa solitária com medo de amar.
Em um mergulho longo me escondo,
Quando sinto alguém aproximar,
Envolvo-me entre as plantas e os corais,
Para que não me aviste, então me disfarçar.
Sinto-me leve,meus cabelos longos a bailar,
Assim não sinto o medo, até posso dançar,
Não estou sendo perseguida até nua posso ficar,
Sou uma princesa viajante do fundo do mar.
Desse mergulho eterno não quero mais voltar,
Estou assim protegida neste naufragar,
Cavaleiro de areia, não irá me enganar,
E nem mais se apaixonar.

HEIDY


terça-feira, 1 de novembro de 2011

ESTÁTUA EQUESTRE




ESTÁTUA  EQUESTRE

Uma estátua equestre disfarçada,
Onde só se observa e sente calada,
Estou assim em meu corcel estatizada,
A espera de uma nova cavalgada.
Fui esculpida no meio do nada,
Mas ainda esperando ser libertada,
Observo as flores sendo plantadas,
E construírem novas estradas.
E quando estiver totalmente cercada,
De firmeza  total rodeada,
Sairemos  fortes desta invernada,
Eu e meu corcel a minha força imobilizada.
O sol o amor o calor,serão infiltradas,
Nas  gretas nas rachas trincadas,
Descascam as partes quebradas,
Aos poucos serão liberadas,
As energias não  mais concentradas,
Desalentos misantropia exterminadas,
Desta  estátua equestre inventada.

HEIDY

terça-feira, 18 de outubro de 2011

ESTRELAS ESTÁTICAS



ESTRELAS  ESTÁTICAS

O manto da noite na abóbada azulada,
Me traz a beleza assim contemplada,
Mais uma noite tão linda estrelada,
Mas não se chocam estão separadas,
Brilham isoladamente , solitárias,caladas.
Assim como nós nessas noites sombrias,
Muito distantes a serem tocadas,
Somos como estrelas da madrugada,
Vivemos distantes extasiadas.
Pelo destino transportadas,
Na solidão da noite estarão fixadas,
Brilhando sozinhas,abstraídas,
Dos sonhos das noites encantadas.
Somos como as estrelas apartadas,
Que não se colidem distanciadas,
Estrelas que brilham no céu estáticas.
HEIDY

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

A GRANDE ÁRVORE



A GRANDE ÁRVORE

Você trocou a brisa suave,pelo vento violento gelado,
Trocou o calor do sol,por um céu nublado,
Trocou o seu jardim,por um solo acidentado,
Preferiu torna-se uma grande árvore,sozinha no descampado.

Agora o vento violento transformou-se em tempestade,
E as flores de seu jardim,procuram a claridade,
Pois a sombra da árvore,não terá intensidade,
Seus galhos estão secos,sem mais utilidades.

Ouve um tempo que podias correr contra o vento,
Teve muitas inúmeras oportunidades,
De cultivar seu jardim,e lhe dar prioridade,
Mas cresceu sozinha a grande árvore.

Robusta valente sem humildade,
Só viverá de recordações e saudade,
Do seu jardim das lindas flores,
Que um dia fizeram parte de sua felicidade.

HEIDY

terça-feira, 11 de outubro de 2011

TROQUEI AMOR POR LIBERDADE



TROQUEI  AMOR POR  LIBERDADE

Nunca pensei que me libertaria,
E assim desobrigar-me de amar,
Pensei que o amor me venceria,
E seria sempre o mais forte a me dominar.
Também não sabia que alem do amor,
Existe uma outra energia,
Que é alegria pela vida,
Que meu amor não pode lhe dar.
Ainda sinto ele constante,
Mas não é mais importante,
Pois não há ninguém para apreciar,
Já amei o bastante,
Não preciso mais provar.
Guardarei ele só para mim,
Escondido em algum lugar,
Para que eu não sofra mais assim,
Por te amar.
Agora com você distante,
Minha alegria vai retornar,
Fiquei liberta no mesmo instante,
Que senti a sua ausência,
Não há mais nada a me incomodar.

Amo sim e daí?
Mas você não vai mais provar,
Minha liberdade é mais importante,
Do que te amar.

HEIDY

domingo, 9 de outubro de 2011

NÃO ERA AMOR




NÃO ERA AMOR

Aos poucos você descobre,
Que aquilo não era amor,
Alguns momentos de felicidade,
Foram apenas esperanças,
Delírios de sonhador.
As palavras que foram ditas,
Só naquele momento tem valor,
Depois são esquecidas,
Perdem o glamour.
Prioridades vão se somando,
Aos poucos se revelando,
E para traz eu fui ficando,
O meu amor foi desprezando.
Aos poucos você descobre,
Que não pode mais persistir,
Não tem mais como dissuadir,
Porque nunca foi amor,
Não tem mais por insistir.
Encarar a realidade,
Há de não mais se confundir,
Um amor de verdade,
Nunca teve a existir.

HEIDY

domingo, 2 de outubro de 2011



OS SEGREDOS QUE O MAR ESCONDE

Lá ficaram os segredos guardados,
Para o fundo do mar foram lançados,
As angustias as tristezas,
De minha alma lavados.

Meu corpo relaxa agora,
Por em você ter mergulhado,
Renovo minha mente,meu espírito,
Meu corpo aliviado .

A brisa do oceano,
Em meu rosto acalentado,
Desta maravilha o tédio naufragado,
Novo ar para dentro de mim assoprado.

Rendendo-me aos obstáculos das ondas,
Meu corpo foi restaurado,
Meu sorriso recuperado,
Por esse mar abençoado.

Deixo para que as ondas os levem,
Tudo aquilo que deve ser levado,
E o que tiver que ficar,
Seja restaurado.

HEIDY

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

PRESA EM MINHA SOMBRA


                                                                                      
PRESA EM MINHA SOMBRA

Quando me guardei em minha sombra,
Privei-me de eu mesma  enxergar,
Deixei minha liberdade presa,
Tornei-me escura sem me achar.
Guerrilhei com os pensamentos,
Tentando me encontrar,
Mas os vultos eram tantos,
Estavam prontos a me exterminar.
Enquanto minha mão estendia,
A outra presa a me afundar,
Na escuridão do julgamento,
A decisão da sentença a pronunciar.
Defronta-te a resfolgar,
Resgate  as forças perdidas,
Não entregues se ao seu penar,
Terás que optar,
Entre a prisão de sua sombra,
Ou a arte de se amar.

HEIDY


sábado, 24 de setembro de 2011

A MINHA MAIOR SAUDADE



A MINHA MAIOR SAUDADE

A palavra saudade nunca teve tanto significado assim,
Já tive saudades que se foram de mim,
Mas essa saudade que sinto agora,
Parece não ter fim.

Algumas saudades me causaram prantos,
Mas essa saudade rompe  os encontros,
O sorriso o abraço os nossos confortos,
Como navios sem portos.

Saudade sem dimensão,
Um oceano de lágrimas sem extensão ,
A ferida que não sara no coração,
A única saudade com vastidão.

Saudade de quem partiu,
Deixando-me  a sua expressão,
Cravado na mente com emoção,
Saudade de sua presença de sua feição.

A maior saudade que já tive até hoje,
É do meu paizão.

HEIDY


quinta-feira, 22 de setembro de 2011

DESPEDIDA DE UMA ESTRADA



DESPEDIDA DE UMA ESTRADA

E assim termina nossa viajem,
Abandonamos nossa bagagem,
No meio de uma estrada,
Rumo a outra jornada,
Encontramos  outra passagem.

Na mala conflitos deixados,
Os trancamos com cadeados,
Lá deixados acontecimentos importunados,
Para nunca mais ser encontrados.

Nessa nova paisagem delirante,
Pegou em minha mão o viajante,
Levou-me assim distante,
Da estrada sufocante.

Avisto agora um novo horizonte,
Sou agora um ser prestante,
Uma figura fascinante,
Nessa nova estrada magnificente.

Não levo malas,
Minha mão está ocupada,
Pela sua sendo guiada,
Estou agora sendo transportada,
Acompanhada,carregada,conduzida,
Nessa nova estrada.

HEIDY

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

NÃO ME ARREPENDO DE TER TE AMADO


NÃO ME ARREPENDO DE TER TE AMADO

Não me arrependo de ter amado,
De a minha vida ter te dado,
Todos os minutos a teu lado.
De ter te erguido, levantado,
Todas as vezes que caiu e esteve machucado,
Ferido pela vida mal tratado.
Não me arrependo de ter te amado,
Quando te viraram as costas e foi rejeitado,
Deixei sempre meu coração por você ser usado.
Engolindo suas lágrimas quando se sentia afogado,
Em meu abraço e meu carinho foi amparado.
Não me arrependo de ter te amado,
Pois sei que um dia meu amor vai ser relembrado,
Os momentos inesquecíveis requintados,
Que não reparou mais foi persistentemente mostrado,
Perdeu-se no tempo sem ser resgatado.

HEIDY


sábado, 10 de setembro de 2011

DONA DE CASA MINHA PROFISSÃO



DONA DE CASA MINHA PROFISSÃO

Oh céus,esqueceram o cérebro no ralo do banheiro,
Aquele chumaço de cabelo,
A pasta de dentes aberta em cima da pia,
Bagunça no banheiro inteiro.

Há copos espalhados ,
O papel de bala virou um formigueiro,
Achei de baixo do travesseiro,
Nos bolsos  das calça dinheiro.

Quanto pó em cima do maleiro,
O paninho bem limpinho meu companheiro,
Água sanitária,álcool,desinfetante,
São em pó,que limpa e tira o pó e aquele  cheiro.

Vidros portas,piso ,tapete,
Ah esse serviço  caseiro,
Não acaba mais esse serviço traiçoeiro,
Um trabalho corriqueiro.

Descongelar geladeira,limpar fogão,
Fazer compras,ir ao banco pagar contas,
Ir à padaria comprar pão,
Ir à escola dia de reunião.

Limpar mijo e fezes do cão,
Pensa o que? Não é moleza não,
E quando filho fica doente?
Correria aperto no coração.

Ajudar nas tarefas de escola,
Fazer trabalho de ultima hora,
Fazer um rango um lanche sem demora,
Sempre famintos tudo para já,agora.

Vou acabar essa poesia,
Mas com toda a alegria,
Porque ainda tenho energia,
Ainda tenho à concluir por mais esse dia.

HEIDY