Seguidores

Páginas

domingo, 27 de janeiro de 2013

LADO A LADO



LADO A LADO

Nem tem como escolher um lado,
Do lado que você se encontra,
Não é o lado que estou,
Nem sei qual seria o lado de fora,
Nem do lado de dentro que se transformou.
Não nos encontramos mais lado a lado,
Algum lado se modificou,
Nem à direita nem à esquerda,
Interno ou externo,
Um dos lados se desviou.
Existe um lado obscuro,
Que o meu lado se apagou,
Agora mesmo que esteja eu ao teu lado,
Não sinto o teu corpo ao lado meu.

HEIDY


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

CORRENTE INVISÍVEL







                        CORRENTE INVISÍVEL

Nem tenho um pulo tão alto,
Não sou veloz ,nem corro,
Nem saio de casa,
Nem peço socorro.
Meus braços distendem,
De um lado pro outro,
As pernas não compreendem,
Que lados devem ficar.
Meu corpo é preso a uma corrente,
Invisível sem se notar.
Eu me curvo eu me rendo,
A um prazer de amar,
Na ilusão que a corrente está solta,
E não irá mais me machucar.
Eu giro em torno de esperanças,
Então  a corrente me sufoca,
Presa nas inseguranças,
A única coisa que me toca,
É essa corrente invisível,
Que prende e não me solta.

HEIDY                                                        

OLHOS DE VIDRO




OLHOS DE VIDRO

Tornaram-se os meus olhos de vidro,
Apenas passaram a observar,
Mesmo que ainda brilhem,
Não há mais lagrimas para expulsar.
Tornaram-se pequenos cristais,
As gotas de desventura ali foram se instalar,
Ficaram presas por dentro,
Em meu coração foram morar.
São apenas dois olhos de vidro,
Que não conseguem mais chorar,
O sentimento que ficou endurecido,
Que não sabe mais se entregar.
São agora apenas dois olhos de vidro,
Que a você não podem mais admirar,
Por você eles foram esquecidos,
Pois quando estava vivo,
Não se importou a uma lagrima rolar.

HEIDY