Seguidores

Páginas

terça-feira, 29 de junho de 2010

BURACO DA FECHADURA


BURACO DA FECHADURA

Se me olha não me vez por inteira,
Vê-me pelo buraco da fechadura,
Da porta antiga,na velha madeira,
Com um olho tapado,meia cegueira,
O outro olho esconde a minha face verdadeira.
Sou o vulto que passa na claridade nublada,
Quando seu olho pisca,outra sena foi passada,
Não acompanha não se fixa em nada.
E a porta não se abre,perdeu a chave,
Sem mais abertura dos meus mistérios,
Causando assim o seu entrave,
Sua fixação não é mais suave.
Nem posso ver a lágrima correr,
Porque não vejo o olho cheio de lágrima,
Só vejo a fechadura tapada,
Como se do outro lado não tivesse nada,
Nem brisa nem lufada.
Mas seu olho vê,que flutuo do outro lado,
Suave como uma fada.
Nesse espaço tão livre tão sereno,
Meu direito pleno,
Longe do seu mundo pequeno.
Seu olho espantado,
Assim arregalado,
Só será alimentado,
Pelo buraco da fechadura,
Do outro lado.
HEIDY

4 comentários:

  1. Oi como é bom visitar seu blog, faz bem a alma e aos olhos, tudo muito lindo.Tudo de bom pra você.

    ResponderExcluir
  2. Meu direito pleno,
    Longe do seu mundo pequeno.
    Linda alma de mulher poeta.
    Sempre saio daqui emocionada ao ler-te poetisa Heidy.
    Suas palavras são teu espelho d'alma amiha linda.
    Bjs de luz. Goretti

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga linda!!! quanto tempo!
    Poesia linda, reflexiva, inspirada nos mistérios da alma, amo ler-te.
    Bjs na alma, paz e luz!
    Taís

    ResponderExcluir
  4. Oi querida amiga, sempre que possível eu passo aqui e sempre me emociono com tuas poesias, bjs a você e as meninas. ps amei a foto de vcs lindas!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Que alegria em receber seu comentário!!!