Seguidores

Páginas

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

AMOR SUBSTITUÍVEL TRANSFERÍVEL






AMOR SUBSTITUÍVEL TRANSFERÍVEL

Quando eu o amei perdidamente,
Não havia toques das mãos que não fossem as tuas,
Não havia outros lábios que não fossem os teus,
Só existiam as suas juras,
Me acostumei a aceitar sempre a teu adeus.
A procura da sensação de serenidade,
Nessas idas e vindas meu olhar procura os seus,
E meu coração apertado nunca adormeceu,
Continua a sentir o que nunca percebeu,
Mas em outros braços o esqueceu.
Continua pulsando reagindo sentindo amando,
Um sentimento já conhecido,
Mas nunca entendido,
Como pode ser transferível,
Resgatado protegido socorrido,
Inesperado tão intenso tão bandido.
Um amor que o outro substitui,
Que não se abate evolui,
E com tranqüilidade flui.
Que não foi premeditado,
Nem destruído nem vingado,
Somente transladado transportado,
Necessitava-se apenas ser furtado,
Recolhido facilmente raptado,
Atraído envolvido provado.

Pensou que sem ele não poderia viver,
Que não haveria jamais outro ser,
A qualquer um pode acontecer,
Basta esperar o anoitecer e amanhecer,
Só o dia a dia irá responder.


HEIDY
DEDICADA PARA UMA PESSOA QUE TANTO AMO NESSA VIDA!!!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

EXISTÊNCIA





  EXISTÊNCIA  

Flutuo em um lugar isolado,
Sem asas sem presente nem passado,
Só com um manto da noite sobre mim abrigado,
Nem sinto frio nem calor nem desagrado.
Distante assim eu posso vê-las,
Os cometas as estrelas,
Posso avistar o mar e as cordilheiras,
Vejo as montanhas e as cachoeiras.
Não sinto a solidão ex-companheira,
É uma paz que me tomou por inteira,
Livrou-me da cegueira.
E nesse sono profundo me purifiquei ,
E em todos lugares por onde andei,
De energia me banhei,
Assim a  seu lado ainda estarei,
E mais um dia eu retornei.
Do sonho profundo a que voltarei,
De muitas noites necessitarei,
Das forças ocultas assim viverei.

Talvez a paz e a felicidade me trazem o medo de adormecer,
Dos meus amores de tantos afetos perder,
O medo de dormir e não amanhecer,
Mas o sonho e o sono tende a acontecer,
A mais um dia de existência a agradecer.


HEIDY

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

SENSATEZ




 SENSATEZ

Sensato é o pensamento equilibrado,
Mesmo nos infortúnios esteja ponderado,
Diante do pressentimento invocado,
Prepara-te para o inesperado.
Por hora uma grande paixão,
Os momentos aflitos da desilusão,
Por hora é pura perfeita sedução,
Em outras o olhar se desviam para outra direção.
Não procurar adivinhar os pensamentos,
Livrarás-te  do julgamento,
Não esperar respostas da imaginação,
Arrebatará o terrível descontentamento.
Vestindo-se de sensatez,
Mostrarás a sua nudez,
A transparência da sua essência,
O interior com limpidez.
E sem criticas valorizando as qualidades,
Mesmo sabendo que não existe o céu sem tempestades,
Que nada é para sempre e que não existe eternidade,
Sei que terei assim sempre utilidade,
Um propósito  para existir com maturidade.


Sensatez não é autonomia,
É viver a cada dia,
Encarando a travessia,
Encaminhando a alma,
Para a verdadeira sabedoria.

HEIDY

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

PAIXÃO ESCONDIDA



 PAIXÃO  ESCONDIDA

Essa paixão que mergulha no abismo,
Tornou-se um verdadeiro fanatismo,
Afogou-se no sufoco do idealismo,
Enchendo o coração de sonhos e desejos,
A imaginação confundindo o realismo.
Tão confuso assim como as palavras escritas,
Não há explicação nessas horas aflitas,
Quando sinto essas profundas desditas,
Torno-me mais frágil as suas visitas.
Essa paixão que mora por dentro,
Que aquece a pele em um choque violento,
Ruboriza a face faz brilhar os olhos,
Faz sentir arrepios até  na brisa do vento.
Essa paixão que é tão ingrata,
Que não escolhe a hora e me contrata,
Escondida como tesouro de pirata,
Uma paixão ou amor que ainda me mata.
Temeroso em se transparecer,
Com medo de engrandecer,
Se expor e o fizer adormecer?
E no amanhã novamente esmorecer,
E venha supor morrer.
Paixão escondida travada a entender.

HEIDY

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

UM PASSADO E UM PRESENTE





                                                        '' STEVE HANS''



 UM PASSADO E UM PRESENTE

Seu vestido está mofado no guarda roupas guardado,
Nem bailinhos nem bailados,
Seu sapato de passeio na caixa amarrotado,
Por debaixo de todas roupas abandonado.
Não existe mais os passeios com o apaixonado,
Nem na praça nem no cinema os dois colados.
Nem caminham pelas ruas como dois namorados.
Nem as mãos se enroscam com os dedos enroscados,
Só os pés se encostam em mais uma noite cansados.
Vez ou outra se encontram pela casa esbarrados.
Saciam sua sede só nos momentos apropriados.
Não se vive mais para o amor nesse mundo perturbado,
Corre-se a traz do dever em caminhos separados.
Os encontros os compromissos ficaram no passado,
Se relembra em novelas,nas canções no porta retrato pendurado,
Nos álbuns na caixa esquecidos revirados.
Momentos que não voltam mais que pelo tempo foi furtado.
E nesse caminho traçado,
Sonha a mulher menina com o inesperado,
Que coloque novamente seu vestido o seu calçado,
Que adentre a madrugada em um bailado requintado,
E viva romance um romance com o seu amado.

HEIDY

                  

                                 

                '' STEVE HANS''

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

O VIAJANTE




 O VIAJANTE

Viajas nesse infinito pensar,
Vais tão longe a migrar,
Estás no espaço infinito,
Onde não posso alcançar.
Sua estrada é tão escura,
Que só você pode caminhar,
Não deixa rastros nem pegadas,
Para que eu possa enxergar.
Viajante dos seu delírios,
Dos enigmas a decifrar,
Para onde fostes agora,
Em que planeta em que lugar?
Nem levas mais meu coração,
Que distante de ti está,
Por estar assim tão longe,
Não sente o pulsar.
Viajante imigrante,
Não posso te acompanhar,
Seu destino é tão sombrio,
Para mim não tem lugar.
Se queres então eu por perto,
Porque insistes em viajar?

HEIDY

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

PRELÚDIO PARA ACEITAÇÃO









 PRELÚDIO PARA ACEITAÇÃO

É assim que se quebram as barreiras,
As águas que levam as tristezas,
Transformam-se em belas cachoeiras,
Apagando-se as fogueiras.
Onde ardia o calor da desilusão,
Lavada foi a alma da rejeição,
O coração intumesceu-se,
Voltou a sentir emoção.
Os olhos voltaram a brilhar,
E o sorriso a enfeitar,
O corpo se fez a bailar,
Na leveza de seu caminhar.
Vestida de glamour ternura,
Mostrando sua candura.
A transferência da sua essência,
Libertou o perfume de sua decência.
A abundante água que lava seu rosto,
E que banha seu corpo todo,
Escorre-se para o ribeiro,
Levando a areia e o lodo,
Que se enxergava pelo espelho.
Quem a viu e a conhece,
Nunca se entristece,
A alegria se estabelece,
E nunca a esquece.

HEIDY

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

NÃO SE INCOMODE TANTO COMIGO



NÃO SE INCOMODE TANTO COMIGO 

Um dia a gente aprende,
Que de nada vale ser arrogante,
Pois não será visto sua beleza,
Se tornará uma pessoa inconstante,
Todos enxergarão sua fraqueza.
As mentiras se transformarão em rugas,
Muito mais cedo em sua vaidade,
A inveja duplicará a sua idade,
Estará visível a falsidade.
Não perca seu tempo se destruindo,
Desunindo com ansiedade,
Um coração que realmente ama,
Não se atingi com maldade,
Ele apenas se afasta de ti,
Aguardando a verdade.
Seu veneno combaterá minhas moléstias,
Pois estou cada vez mais forte,
E nas suas imodéstias,
Os anjos ao meu redor fazem festas.
E então perceberás porque sou tão amada,
Porque meu brilho não se apaga,
Porque tenho muitos amigos,
Porque vivo tão feliz e apaixonada.

HEIDY

domingo, 2 de janeiro de 2011

FINAL DAS FESTAS





FINAL DAS FESTAS

Agora começa-se mais um ano,
E os olhares ainda guardados,
As emoções ainda registradas,
E os abraços ainda apertados,
De momentos emocionados.
Nem todos pudemos alegrar,
Nem todos a festejar,
Mas a esperança a celebrar,
Aos não presentes,
No pensamento a ficar.
Sorrisos e lágrimas,
Presentes dádivas,
Que daqui uns meses se apagará,
Pois a vida tem que continuar,
E cada um em seu lugar,
Pessoas distantes a recordar,
E a saudade a recomeçar.
Nada mudará,
Se você não mudar,
Será apenas mais um ano,
Se você não preservar,
O verdadeiro sentindo,
Da união do feliz ano novo,
Que pode festejar.

Não esqueça da alegria,
Que nas festas contagia,
Que o ano se prossiga,
Com toda a energia,
Que passamos um para o outro,
Para nossa euforia.

HEIDY