Seguidores

Páginas

quarta-feira, 3 de novembro de 2010






PENSAMENTO APRISIONADO

Por quanto tempo estarei,
Presa em meus pensamentos,
Que não podem ser vividos,
E não podem ser ouvidos,
Com desejos reprimidos,
Os anseios recolhidos,
Sem serem resolvidos,
Aqui dentro embutidos.
Por quanto tempo estarei,
Ludibriando meu pensamento,
Conformando-me a todo o momento,
Para não ferir o sentimento,
Para seu contentamento.
Por quanto tempo estarei,
Aceitando que esse é minha existência,
Sem uma coerência,
Vivendo na influencia,
Com toda essa impotência.
Por quanto tempo estarei,
Não tendo forças para explosão,
Para expressar uma condição,
Pois quem comanda é o coração,
A força da sedução.
Por quanto tempo estarei,
Com o pensamento aprisionado,
Para proteger o que já é conquistado,
Na esperança do amor não ser desbaratado,
Então fica aqui tudo guardado,
O presente o passado,
Tudo registrado,
Mesmo indeterminado.


Quando não vale a pena dizer o que sente,
É que não vale a pena dizer o que disse sempre,
São palavras que não dão importância,
Que refletem com repugnância,
Guarda-se no pensamento a desesperança.

HEIDY

3 comentários:

  1. Lindo seu poema, é sempre bom visitar seu cantinho.Beijos

    ResponderExcluir
  2. Heidy amiga.

    O que mais faço nestes últimos meses é guardar para mim minhas vontades e pensamentos.
    Sabe quando vc está onde não quer estar e só faz certas coisas porque devem ser feitas e não porque vc quer?

    Adorei seu poema.
    Muito inspirador.

    ps.: ri muito quando li sobre o comentário da sua sobrinha Emilly. kkkk
    Essas crianças........rs

    ResponderExcluir
  3. Achei linda esta poesia, gostei da formação de palavras.

    Soube que ira deixar o mundo da internet. Que pena!
    Estou montando um blog, se possível deixe um toque teu, será o primeiro.
    abraços e sorte no futuro

    Sentirei saudades!!!!!
    bjsssssssssss

    ResponderExcluir

Que alegria em receber seu comentário!!!