Seguidores

Páginas

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

O DESTEMOR DE UM HOMEM




 O DESTEMOR DE UM HOMEM

O homem se vestiu de coragem,
Colocou seu sorriso no rosto,
Seu ar sereno exposto,
E partiu para abordagem.
Entregou o palpitar do seu peito,
Em um abraço caloroso forte,
Tão forte quanto ao seu porte,
Protegendo-a com respeito.
Sem palavras simplesmente,
Beijou seus lábios calmamente,
E com seu olhar evidente,
Declarou-se finalmente.
Que o medo de amar era constante,
Mas sem ela seria um errante,
Não sentiria o calor ardente,
Nem o tremor exorbitante.
Não visitaria o além ,
Pois não há mais ninguém,
Que te levaria ao harém,
Só ela pode ser a sua refém.
Refém do seu beijo,
Refém do seu desejo,
Refém do seu cortejo,
Dominada por seu pejo.

HEIDY

Um comentário:

  1. Lindo seu poema, tem selos de presente pra você no meu blog
    http://ventosnaprimavera.blogspot.com
    na postagem EU E O IPÊ, passe lá e pegue,beijos

    ResponderExcluir

Que alegria em receber seu comentário!!!